quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

A Verdade Sobre o Amor

         
            O amor é mesmo um mistério. Nunca se sabe a hora exata do lance fatal. Não se pode indicar o primeiro momento que a outra pessoa passou a ser necessária. Qual beijo mudou a história do simples fica e transformou em paixão o que não era pra ser nada sério. Rege-se pelo princípio da incerteza.
           Dessa forma, também não se sabe por que se ama a outra pessoa. Não se pode escolher a quem amar, e por causa disso o destino acaba nos pregando cômicas peças. Do contrário, faríamos uma lista das qualidades que queremos encontrar num eventual parceiro, e, quando encontradas as características, apertaríamos o botão “apaixonador” e pronto, curtiríamos o romance.
          Mas a realidade é que o seu amor não foi aquele namorado que te mandava flores na oitava série. Aliás, seu amor tem poucas das características da lista. Você não sabe explicar porque o ama.  Mas algo no jeito dele te olhar a mantém fixa. Ele não completa o versinho do Cartola que você canta enquanto cozinha, mas beija sua nuca e faz você rir com o que diz no seu ouvido.  Você gosta de ver seu sorriso ao acordar e gosta quando ele te chama pra sair, ou quando ele percebe sua fome de elogios e repara no seu novo corte de cabelo. Sabe que não seria tão divertido sem ele, mas porque o ama... Isso você não sabe.
       Ele também a ama sem saber por quê. Poderia ter encontrado alguém que fosse mais simpática com seus amigos e que se importasse menos com o futebol das quartas-feiras. Ele diz que odeia seu vestido curto (mas no fundo só quer que você não mostre tanto as pernas por aí). Ele gosta do seu cabelo amarrado com caneta enquanto trabalha no computador, gosta de quando você reclama das cortinas e gosta porque você gosta do seu bulldog francês. Mas quando perguntado porque a ama, iiih... Ele não consegue responder.
       Mas o amor é mesmo assim, ou não é, ou não se sabe. A verdade é que se houver descrição, não há amor.

4 comentários:

  1. É o seguinte, o amor é lindo. E o amor é rosa. Portanto, o amor só pode ser um cocô de Digimon. Desde o dia que eu me toquei disso eu parei de pensar nessas coisas. =]
    Parabéns pelo post!
    SUA LINDA!
    Feliz Ano Novo.


    http://deathecator.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. "A verdade é que se houver descrição, não há amor."

    Um grande fato. Bom texto, porém, nada que eu já não tenha lido.

    ResponderExcluir
  3. Na verdade o amor é algo muito complexo e não existe uma definição racional do que é o amor. Cabe a nós apenas viver essa isnanidade!
    http://cidadeonirica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Passando por aqui para desejar um Feliz 2011.
    Que o ano nos traga muita paz, alegria, energia positiva e
    realizações. Estenda aos amigos, amigas e familiares.
    Feliz Ano Novo - 2011
    Abraço

    William
    www.tocadowilliam.com

    ResponderExcluir